Eu e o Kobo

Comprei um Kobo como autopresente de aniversário esse ano, em fevereiro. Com um mês de uso intenso, já estou pronta para falar da experiência como feliz usuária de um e-reader. Escuto tantas perguntas e comentários que achei melhor escrever esse post a partir de algumas delas. Vamos lá:

1. Por que um e-reader?

Porque eu leio muito, uma média de 6 a 12 livros por mês, depende do tempo que tenho. Se eu fosse comprar essa quantidade de livros físicos mensalmente, eu teria que comprar, também, duas estantes novas por ano e um apartamento novo a cada três anos. Não dá. O principal motivo é esse.

2. Ah, mas eu gosto do cheiro do livro, do toque do livro, blá, blá, blá… 

Eu também, eu também, mas eu não posso me dar ao luxo de comprar o cheiro do livro, o toque do livro na velocidade do meu consumo. Pra quem compra um por mês até dá pra levar. Mas no meu caso, é difícil. Claro, vou continuar comprando livros físicos, mas só quando for uma edição que valha mesmo a pena. Se o interesse for no texto, sempre irei preferir um e-book. Outro problema: sou muito alérgica. Meu nariz não permite uma carreira como bibliófila, acumulando livros por todos os cantos. Tenho que mantê-los em estante fechada com porta de vidro e muitos cuidados.

3 – O que é melhor, um iPad ou um e-reader?

E-reader, sem dúvida. Para ler livros longos, o iPad é pesado, desconfortável para segurar por mais tempo e tem a luminosidade do monitor. Além de alérgica, sou fotofóbica. E além de cansar a vista , é cheio de distrações – ainda mais agora que o Facebook apita pra chamar a gente, só falta falar. Sou fã do iPad para muitas outras coisas, mas ler textos grandes com ele não dá pra mim.

4 – Qual o melhor, Kobo ou Kindle?

Primeiro, vamos deixar claro que eu vou falar do Kobo Glo e do Kindle Paper White, certo? Existem outros modelos de cada um, mas esses são os meus preferidos da categoria.

O Kobo é canadense. O Kindle é da Amazon, americana. São concorrentes e tem um funcionamento muito parecido (nesses dois modelos, especificamente). Se você quiser saber mais detalhes técnicos, sugiro esse vídeo que compara os dois de forma bem completa.

Na minha opinião de usuária comum, a decisão deve partir do tipo de livros que você pretende comprar. O Kindle é Amazon. Se lá tem o que você precisa ler, ele é o seu e-reader. Mas se você dá preferência aos livros em português, compre o Kobo. A venda pela Livraria Cultura vai garantir os lançamentos nacionais e bons descontos. Dá pra comprar livros internacionais na loja Kobo também.

5 – Por que você escolheu o Kobo?

Eu não escolhi o Kobo, eu só comecei por ele. : )  Na Livraria Cultura de Fortaleza tem um ponto de venda do Kobo, com demonstração e com a ajuda do Kobo Boy mais legal do mundo, o Dudu. Ele teve a maior paciência nas 487 vezes em que fui lá tirar dúvidas e testar o aparelho. Mas eu vou comprar um Kindle também, porque tenho lido bem mais em inglês. Imaginar um livro da Amazon na palma da minha mão em segundos é quase mágico. E, sim, vai ser o Kindle Paper White. Mas pretendo pedir a um amigo que vai para os Estados Unidos, aqui é muito mais caro.

6 – O que você considera melhor no Kobo?

Primeiro: ele é lindo. : ) : ) O meu é branco com azul, isso me deixa feliz. Segundo: é leve e grava mais de 1000 e-books nele. Levo para onde quiser, não pesa e garante boas horas de leitura enquanto a filha faz vôlei, no avião, na fila do banco. Terceiro: a luz. Ah, a luz. Não incomoda a vista de maneira alguma e funciona em ambientes totalmente escuros. Quarto: é funcional, organizado, fácil de usar, vem com um aplicativo de leitura bem legal que faz estatísticas de seu tempo de leitura, gráficos, concede prêmios divertidos, etc. Quinto: os e-books são mais baratos que os livros físicos. Sexto: eu estou conseguindo ler mais com o Kobo porque os livros chegam de forma mais fácil com ele. Sétimo: o dicionário automático é inacreditável. Basta pressionar a palavra e o significado aparece, no idioma que você quiser. Dentre outras vantagens.

7 – Você parou ou vai parar de comprar livros de papel? 

Não, de forma alguma. Mas sinto que estou lendo mais, gastando menos e acumulando menos em casa.

8 – Você não acha bobagem gastar dinheiro com isso? 

(Sim, eu ouvi essa pergunta na vida real)

A leitura é essencial na minha vida, sempre foi, sempre será. Sou uma profissional do livro. Respiro palavras. Não, não acho bobagem. Para quem não lê ou lê pouco (caso da pessoa que fez a pergunta), realmente não vale a pena. Mas para quem ama os livros, essa é só mais uma maneira de amar.

9 – Você não respondeu o que eu queria. E agora?

Deixe sua dúvida nos comentários. Se eu souber, responderei com o maior prazer. : )

Imagem

Anúncios